Acordou de ressaca? Veja o que comer e beber após exageros etílicos

Acordou de ressaca? Veja o que comer e beber após exageros etílicos

Durante o período de festas de fim de ano, com tanta bebida alcoólica e comida excessivamente temperada disponível, é comum acordar no dia seguinte com mal-estar e ressaca.

Para quem abusou do álcool, os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo e fadiga. Dependendo do organismo, o desconforto pode durar até 24 horas depois da bebedeira.
Boa parte dos sintomas pode ser aliviado com dieta adequada e reforço na ingestão de líquidos.

Veja algumas indicações de nutricionistas sobre o que comer e beber para cortar a ressaca.

Alimentação pós-ressaca

O ideal para evitar os sintomas é beber de estômago cheio. Para quem já enfiou o pé na jaca, o ideal é incluir no cardápio ingredientes de fácil digestão, que sejam ricos em líquidos e nutrientes para ajudar o corpo a se recuperar.

A nutricionista Camila de Moura e Lima, de Brasília, aconselha a colocar frutas, verduras e carnes leves, preparadas com pouca gordura, no prato. Para quem estiver extremamente indisposto, torradas e frutas como melancia, abacaxi e melão, extremamente hidratantes, são a melhor opção de café da manhã.

No almoço, sopas e sucos de frutas ajudam a repor nutrientes. “Ovos e abacate, que são ricos em proteínas e gorduras de fácil digestão, auxiliam na recuperação do ritmo digestivo e também fornecem energia para ajudar o corpo na desintoxicação”, acrescenta Camila.

Hidratação pós-ressaca

A chave para se livrar dos efeitos da bebedeira é tomar bastante água. É importante tomar ao menos 35 ml de água para cada quilo de peso corporal. Ou seja, alguém com 80 kg de peso deve consumir 2,8 litros de água por dia, considerando a água pura ingerida e em outras bebidas e alimentos. Para quem exagerou na bebida e perdeu líquidos, é necessário aumentar um pouco esta conta.

A nutricionista Caroline Medeiros dá dicas de como reforçar a hidratação:


Fonte: https://www.clickpb.com.br/saude/acordou-de-ressaca-veja-o-que-comer-e-beber-apos-exageros-etilicos-823007.html